Os que curtem este Blog

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Em progresso


Não há palavra mais adequada do que “repugnante” a ser usada neste momento de grandes manifestações em todo o país. Falo isso por que enquanto o povo esta na rua todos os dias, uns manifestando-se, outros quebrando tudo, o governo se utiliza do evento Copa das Confederações para “desviar” o assunto.

É escroto demais a postura dos nossos governantes. Eles estão cagando e andando para o povo que hoje sai a rua pedindo um país mais justo.

Se utilizam dos jogos de futebol e declaram que o momento agora não é pra manifestação e sim pra futebol. Outros mais ousados diz que não se faz copa com hospital. E há aqueles que confundem a nação brasileira com a seleção brasileira, uma esta nas ruas enquanto que a outra esta no campo, servindo, obviamente, de entretenimento para os manipuláveis e manipulados.

É terrível sermos testemunhas de declarações como as do atual presidente da CBF que declarou "Seria preferível que toda a atenção estivesse voltada exclusivamente para o futebol e acho que essa é a preocupação de grande parte do povo brasileiro". Penso que eles (o governo e a CBF) acham que o povo é trouxa. Basta ligar uma TV e vemos qual é a noticia que mais dá audiência, se são as manifestações que estão ocorrendo em todo o país ou se é a meia dúzia de jogos que estão acontecendo em algumas capitais pelo Brasil.

Mas não só isso. É terrível percebermos como o governo esta se utilizando do evento copa das confederações para tentar mudar de assunto. Oras, parem com isso! O povo tem de cada vez mais sair paras ruas e lutar por mudanças.

Não bastasse isso, em particular, os políticos acham que o povo sai na rua por R$0,20. E, ah! Não é somente os políticos, como também muito cidadão medíocre que não enxerga que o povo na rua gera mudanças para a sociedade.

Vou valar de cada um apropriadamente. Tanto do governista que acha que baixando o preço da passagem esta tudo bem quanto daqueles que acham essas manifestações uma enorme besteira.

Primeiramente ao governista. É provável que o governista seja tapado ou burro, pois não percebe que o tema das manifestações já mudou e faz tempo. Faz mais ou menos uma semana que todo mundo sai na rua gritando por mudanças, levantando faixas e cartazes e os governantes realmente acham que o problema é somente a tarifa de ônibus? Face me o favor, tirem esse imbecil do poder, pois se ele não tem a capacidade de ampliar o horizonte de suas visões ao ponto de perceber os reais motivos pelos quais o povo sai as ruas ele certamente não tem capacidade para governar.

Em segundo, ao pessoal que desacredita nas grandes manifestações que esta ocorrendo, esse povo provavelmente nasceu dentro de uma caixa. Isto por que não são abertos a mudança. Não acreditam que o povo na rua é risco de vida para meia dúzia de bandido.


Mudanças são necessárias. Elas acontecem pacifica e violentamente. Eu queria expor aqui a minha indignação a esses três grandes pontos, o conluio entre o governo e a CBF, os governantes tapados e aqueles que não são adeptos a mudança.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Sobre a PEC 33/2011


Pelo o que entendi da leitura da justificação da PEC 33, o Legislativo quer alterar a CF para limitar a atuação do Poder Judiciário haja vista ser notório o ativismo judiciário a qual a nossa sociedade se submete.

Pois bem, partindo do principio que os senhores parlamentares são eleitos para representar o povo e criar leis a fim de estabelecer a ordem no país não acho plausível o fato de os nossos parlamentares tomar esse tipo de postura, qual seja, a de limitar a atuação do judiciário, que tem decidido questões importantes para o país, haja vista que o legislativo em nenhum momento demonstrou estar interessado em discutir ou debater tais questões.



É lamentável ver que o legislativo esta mais interessado em atar as mãos da justiça limitando a sua atuação e decisões ao invés de se preocupar em discutir questões de extrema relevância e assim declarar direitos.

Vivemos numa crise. Onde há aqueles que fingem não saber de nada a respeito do que estão aprontando no seu governo, onde há aqueles tomam posse de função publica mesmo sendo condenado pela suprema corte, onde há uma comissão formada por bandidos e corruptos que discute emendas a nossa constituição. Essa é a pintura que se faz do Brasil de hoje.

Eu não sou a favor de que o judiciário saia por ai legislando, até por que não é a sua função fazer isso. Sou a favor de um legislativo que esteja realmente comprometido com a democracia, com o povo, com o Brasil.

Se continuarmos apenas enxergando as atitudes dos outros e não cuidarmos das nossas tarefas ou da nossa vida não tenho duvida nenhuma que não iremos muito longe. Assim, legislativo, trate de cumprir com o seu papel e pare de causar no nosso país!

terça-feira, 30 de abril de 2013

O verdadeiro interesse do Legislativo


É evidente que o poder legislativo esta cagando e andando para a sociedade brasileira. O tom da nossa conversa será bem esse.

O poder legislativo quer calar a boca da justiça. Por mais que todo mundo saiba que a proposta de emenda à constituição (PEC 33) vai de encontro com a clausula pétrea que garante a divisão dos poderes tornando os independentes e harmônicos entre si, por mais que desde o mais nobre cidadão brasileiro até o mais pobre cidadão brasileiro saibam que tem alguma crise ocorrendo entre os poderes do Estado, mesmo com isso, os nosso parlamentares fingem não enxergar o quão maluca é essa idéia de limitar o poder do judiciário.



É simplesmente uma afronta a democracia e uma lamentável situação a que nos encontramos. Estaria jogando lixo no ventilador ao afirmar que só poderíamos chegar nesta situação com o partido dos trabalhadores no poder, mas ai eu estaria passando uma imagem que – por mais que todos saibam que é por ai mesmo – não vale a pena sustentar sob pena de eu não estar escrevendo aqui amanhã...

Mas o nosso legislativo pouco se interessa em declarar o direito. É por causa dessa maldita casa que o nosso país se encontra na desmoralização em que nos encontramos. E na medida em que eles querem impedir que o judiciário atue, o legislativo estará fazendo refém o povo. Querem nos arrancar a pele, nos tratam como se fossemos um bando de gente que só reclama, reclama, reclama, mas para eles o país está tudo bem, tem copa vindo ai, dinheiro que irá entrar... Mas eles não querem enxergar que decepção se encontra a nossa nação.

A verdade é essa. O legislativo pouco se interessa em discutir os verdadeiros problemas do povo. Estão interessados em arrumar os meios mais ardilosos possíveis de extorquir o povo cada vez mais rápido. Aquela casa sem duvida esta cheia de ladrão! E eu me pergunto sempre como é que aqueles sujeitos podem nos representar? Mas infelizmente nos representa. Eles estão nem ai para o povo.

Com essa PEC querem definitivamente cala a boca do povo, pois a justiça é o único meio que o pobre e o rico tem de ter os seus direitos garantidos, a justiça é o meio pelo qual temos orgulho de dizermos que somos deste país. E quando os parlamentares se reúnem para discutir uma proposta deste tipo sem duvida querem atar as mãos da justiça, prender o povo numa jaula e fazer deste país a maior suruba que já se viu na história da civilização humana.

Querem armar o seu império em cima da desmoralização da cultural, da moral, dos institutos jurídicos que há neste país. Desta forma, quem poderá nos socorrer? Será mesmo que o poder legislativo tem moral e capacidade para dizer a ultima palavra em matéria de direito? Vejamos só quem esta lá nos representando! São as pessoas que no judiciário estão sentados nos bancos dos réus! Então como querem nos convencer de que nós podemos confiar no congresso se o congresso tem essas idéia malucas, é o poder mais corrupto que tem e é o poder que tem figuras como os caras do mensalão, sujeitos como Paulo Maluf, entre outros...

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Sobre a Mulher - breve considerações



Tenho reparado em mim uma situação totalmente nova. Vi outro dia uma imagem que me chamara muito a atenção. Dizia respeito as mulheres. Eu não tenho pretensão de entrar no mérito desse tema, até por que é tarde e isso me custaria ao menos umas três ou quatro horas de reflexão. Mas, tratando-se de causas feministas e, do outro lado, a imagem que a sociedade prega da mulher, tenho reconsiderado certos pontos de minha educação moral. Oras, isso é totalmente válido na medida em que buscamos um ponto médio ou um enfoque necessário para se viver bem. Assim, espero que o leitor tente promover a reflexão, assim como procurei promover em mim a respeito do tema a imagem da mulher e o tratamento que damos a elas e elas para com elas.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Desobedecer a Lei no Brasil



Uma noticia me chamou a atenção hoje de manhã logo quando cheguei no escritório. Nela dizia que desobedecer a lei é fácil diz pesquisa de 82%. Pois bem, desobedecer a lei então é fácil...

Aparentemente isso e nada é quase a mesma coisa. Mas muitos diriam: "Como não é nada!? Você esta maluco? Que tipo de cidadão é você?"

Não sejamos hipócritas, nas palavras do ex presidente da republica, todo mundo pelo menos já desobedeceu a lei ou utilizou-se do jeitinho brasileiro para satisfazer os seus interesses. Essa minha afirmação não quer dizer que sou a favor desse tipo de conduta.

Pois bem, logo de manhã acompanhei o comentário político de uma rádio que eu costumo ouvir. Lá o comentarista comentava sobre a ação da Policia Federal em pedir a quebra de sigilobancário de Freud Godoy, o “faz tudo” do ex presidente da republica.

Pois bem, selecionei essas duas noticias para expressar o meu comentário. Do segundo pro primeiro (por que assim esquenta mais a ordem).

Penso que as coisas na sociedade brasileira são assim como são e ponto acabou. Nós somos testemunhas de diversas ações ilícitas do atual governo e não temos a quem recorrer, clamar por justiça. Isto por que todos os campos da sociedade estão contaminados por essa onda de desmoralização e de desvio ético que se propagou nos últimos anos. Nós aceitamos tudo da melhor forma possível. Como se fossemos obedientes a alienação que costumeiramente nos é imposta.

A quebra de sigilo que só agora veio a calhar, ainda que atrasada, demonstra claramente que o nosso amigo do povo não era tão ignorante assim do esquema que estava por trás de seu governo o quanto alegou ser enquanto estava no poder.

Lula sempre alegou que não sabia de nada, e mais, disse que o PT devia desculpas a nação. Mas a nação, obediente como é a todo e qualquer tipo de porcarias que lhe imposta, entrega novamente o poder para o partido do ex presidente. Pois bem, sabemos que o julgamento do mensalão fora uma mera obra de teatro, muito bem planejada e reproduzida por todo mundo. Mídia, três poderes, todos contra a sociedade. Parece-me que o poder que emana do povo, previsto na constituição, emana mesmo é de algumas classes particulares.

Utilizar o dinheiro para caixa dois não é um grande problema para o ex presidente, isto por que nas palavras dele todo mundo faz. Mas o problema é quando esse dinheiro, que vem do povo, é utilizado para bancar despesas pessoais... ai é problema não é senhor presidente!? Isso sem falar na compra de dossiês para desmoralizar adversários na campanha política.

O cerco esta ficando cada vez mais estreito para estes bandidos. Mas infelizmente não temos a credibilidade da punição do Estado. Vide a noticia do Metro.

E não bastasse isso, temos agora um índice que comprova o quanto reflete os atos daqueles que estão em cima para com aqueles que estão em baixo na pirâmide do poder.

Explico. O exemplo ético e moral tem de ser dado de cima pra baixo ou de baixo pra cima? É o povo que tem de aprender a escolher melhor os seus representantes? Ou é o político que tem de dar o exemplo em respeito a lei?

É fácil desobedecer as leis do nosso país. E 54% das pessoas entrevistadas na pesquisa realizada pela FGV não vêem razões para se obedecer a lei. Cai por terra tudo aquilo que aprendemos em cursos de direito ou até mesmo dentro de casa. A lei deve ser obedecida. Mas como obedecer a lei que é feita por um ficha suja, ou por aqueles que estão sendo investigados ou até mesmo foram condenados por um processo por uso indevido do dinheiro publico.

E mais, como obedecer ao governante que acha normal o uso de caixa dois para campanhas políticas?

Tais questionamentos deveriam fazer parte do dia a dia de cada cidadão. Isto por que é ele quem deveria fiscalizar o cumprimento da lei e a fiscalização dela pelo Estado. Na medida em que desacreditamos do poder o papel de cidadão acaba por cair em terra também. Haja vista que aqui é o país do faz de conta. Faz de conta que somos uma nação organizada e que bandidos do colarinho branco vão presos e que os pobres são muito bem cuidados pelos órgão públicos.

Com estes questionamentos na pauta do dia a dia de toda a família, nos círculos de conversa, quem sabe assim poderíamos dar um “rumo” para esta sociedade.

Mas é claro que provavelmente sou uma das poucas vozes que constantemente grita ou clama pela justiça e a ordenação dos valores da sociedade. Torna-se cada vez mais normal ser errado e ser taxado de trouxa aquele que faz uso do bom senso ou do agir de acordo com a lei.

Nossa sociedade ao declarar que é fácil desobedecer a lei simplesmente reflete aquilo que se vê no grande jogo político que sempre trás alguma novidade – de preferência novidades ruins, que especialmente prejudiquem o bolso do cidadão.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Um assunto para levar a sério



Simplesmente me impressiona como a maioria das pessoas se conformam com o que tem acontecido no nosso país em matéria de política. Não quero colocar aqui que todo mundo tem o dever de se inteirar sobre os assuntos do Estado. Mas seria interessante que essas pessoas que não dão a mínima para os assuntos políticos percebessem que o que é decidido pelo Estado tem uma enorme relevância para a vida delas. Não precisava de mais nada, apenas a grande noção de que, independente de gostarem ou não, ou de ser bom ou mal, o que é discutido em caráter oficial pelo Estado necessariamente afetará a vida dessas pessoas e das pessoas que elas tanto amam.

Pois bem, dito isso, o que vou discorrer aqui é o fato de que a população não entende ou não quer entender o poder que tem para transformar o caminho da história deste país. Pretendo também tentar identificar qual é a razão para a grande falta de noção por parte das pessoas e o que a falta de determinada noção pode acarretar no futuro da nossas vidas e o destino do Estado.

Muitos não acreditam, outros até duvidam, mas a verdade seja dita, o povo não é educado para refletir e questionar as incertezas que são promulgadas pelo Estado. Na medida em que não temos um povo “educado” temos então um povo individualista. Cada pessoa olhando para sua barriga se esquece que vive em coletividade, que vive numa sociedade e que necessariamente precisa pensar no próximo.

Entendo que é a falta de educação que leva o povo a adotar essa postura indiferente para com as decisões políticas do nosso país. Mas não é qualquer tipo de educação que faz com que o povo fique indiferente ao respectivo assunto. Na medida em que não condicionamos as nossas crianças e os nossos jovens a pensarem o que querem da vida e o que pretendem fazer pelo mundo estamos assim deixando dar um tipo de educação essencial para a existência da sociedade. Vejam, não me referi a nenhum tipo de ciência ou disciplina. Tampouco a alguma matéria em especial, mas no puro exercício da reflexão. Nossas escolas não estão fazendo com que as crianças pensem. Apenas decorem formulas e teorias para que passem em determinados concursos e nada mais. Não é isso que um individuo precisa. O individuo precisa de uma formação reflexiva onde ele esteja condicionado a ser disciplinado. E com a disciplina ele poderá obter o devido sucesso na vida. E com a disciplina e o aprimoramento da conduta e reflexão política, o individuo deixa de ser individuo e passa a ser tratado como CIDADÃO.

O problema é que atualmente nos encontramos numa educação meramente operária, onde se aprende aquilo que se deve aprender e nada mais. Não se é explorado a capacidade intelectual do individuo, não o estimula a sonhar. Somente o faz crer que ele precisa trabalhar para pagar as suas contas, trabalhar para comprar porcarias com tempo de duração determinado, trabalhar para pagar as dividas que contraiu por conta das compras realizadas, etc. O individuo cresce e aprende rápido que ele necessita do dinheiro. Como consegui-lo? Ou trabalhasse ou parte para a marginalidade...

Na medida em que não somos condicionados a determinados tipos de educação nos tornamos incapazes de olhar para cúpula do poder e questioná-los. O individuo atualmente é transformado num saco de batatas, num bundão. Onde se tem medo do poder ou daquele que prega o poder. Mas o poder esta no povo, pelo menos é o que diz a constituição. Mas o que fazer se o povo não sabe que tem poder?

Nem tudo são rosas. Para tirar o poder do rei foi preciso cortar-lhe a cabeça. Esse evento ocorreu durante a revolução francesa que teve inicio no ano de 1789. Na França daquele tempo eles também sofriam com alguns “problemas de poder” assim os julgo. O poder concentrava-se na mão de uma só pessoa. O povo sentia fome, necessidade de mudança. Diferente do cenário atual, naquela época eles exigiam a liberdade que não tinham. Exigiam um poder fulcrado na igualdade, e uma sociedade mais fraterna, solidária. Para que esses ideais fossem colocados em prática foi necessário muito derramamento de sangue. Inclusive o sangue daqueles que deram inicio a revolução (vide o exemplo de Maximilien Robespierre, “o incorruptível”).

Maximilien Robespierre foi um advogado e uma das principais figuras da Revolução Francesa. Fora eleito deputado e um dos responsáveis pelo processo a qual levou a decapitação do Rei Luís XVI. Implantou o regime do Terror e mais tarde acabou sendo capturado pelos seus inimigos e decapitado.

A mudança só aconteceu por que o povo daquele país e daquela época assim queriam. Não queriam mais o poder concentrado na mão de um único homem. Não queriam mais ver o valor dos impostos subirem ao ponto de não ser mais possível comprar pão e sequer trigo! Não queriam mais ver toda as regalias e privilégios concentrados em uma só classe (a nobreza). Foi com uma dura postura, uma postura um tanto radical, que o povo francês fez a revolução que modificou o rumo da história naquele país e desde então deu-se inicio a um novo capitulo na história da humanidade, o capitulo que coloca o poder na mão do povo.

Os países foram se unificando e continentes sendo explorados. Com o passar do tempo os ideais democráticos foram tomando forma. E assim a democracia tornou-se o regime dos Estados modernos.

Contudo, nos encontramos na ditadura da democracia. Como assim me perguntarão. É difícil de se entender, pois é difícil de explicar, mas na medida em que a base da sociedade (o povo) não esta condicionado a refletir e a participar das questões políticas, mais presos estaremos a eternos governos de políticos corruptos. Para o corrupto tanto faz se você esta bem ou não, o que importa é saber que você não tem noção do seu poder, que você não quer tirá-lo do poder.

Todo ano é sempre a mesma história. O Brasil é um país enorme, tem uma das melhores economias do mundo, porém, seu índice educacional chega a ficar atrás de países que não estão entre os melhores na economia mundial. Não precisa de explicação, isto por que para os atuais governantes, os atuais detentores do poder, para eles esses índices que demonstram que o nosso país fica atrás de países menos desenvolvidos que o nosso em quesito de educação nada mais é que um índice que fortalece a manutenção do sistema. Pois constata-se que pelo fato de termos uma péssima educação temos também um povo sem noção alguma de poder, assim, fica mais fácil de perpetuar certas famílias no poder...

Não obstante o já mencionado acima, para aqueles que estão no poder não é viável que a população tenha um pingo de conhecimento ou que promovam a cultura. O mesmo se diz aqueles que enfrentam uma séria luta contra as drogas. Para aquele que se encontra no poder é melhor que os jovens se convertam em marginais ou que se percam no mundo das drogas, pois assim fica cada vez mais fácil se perpetuar no poder.

Pensam que a coisa termina por ai? Na medida em que acreditamos que todo político ou todo aquele que se envolve com política é moralmente sujo estamos, de certa forma, concretizando os ideais daqueles que se encontram no poder. Pois quanto menos você se importar com a política, mais fácil será para eles controlarem a sua vida.

Assim, é notável que para causarmos uma modificação na estrutura do Estado e da sociedade primeiramente precisamos causar uma modificação em nós. Paremos de pensar que não é importante levar em consideração os assuntos que são discutidos pelo Estado. Deixemos de tratar como “assuntos para gente chata” o que pode dar rumo as nossas vidas. Passemos a acreditar que com a união de todo mundo ainda será possível construirmos uma história na qual as futuras gerações, ao olharem para o passado, não sintam vergonha ou se decepcionem com o que poderíamos ter mudado e não mudamos.



quarta-feira, 10 de abril de 2013

A ordem natural das coisas esta mudando.


As vezes eu fico me perguntando onde é que iremos parar com tanta violência e falta de respeito que há na sociedade. Acabo de ver uma noticia (sensacionalista) de um rapaz novo, eu diria que tinha uns 21 anos ou pouco mais, fora morto por um bandido. Então vem a pergunta, a ordem natural das coisas esta mudando?

Penso que é necessário refletir sobre esse tema e o tempo em que nos encontramos. A ordem natural das coisas esta mudando, mas qual era a ordem? Tem se como desejo e “utopia” a conquista e permanecia da paz. Mas sabe se que desde os primórdios o ser humano tem demonstrado que não existe um porquê das coisas, apenas justificativas para tirar a vida do outro. Outro a igual a ele.

Intolerância, ideologias, necessidades... O que leva uma pessoa tirar a vida de outra pessoa? Ai que eu questiono novamente sobre a ordem natural das coisas, será que quando aquele que dispara uma arma ou desfere um golpe em outra pessoa tem a noção da gravidade de seu ato? Será que as pessoas estão condicionadas a pensarem umas nas outras?

A ordem natural das coisas esta mudando, mas talvez ela já fora mudada. Pois se sabe que o ser humano conquistou o que conquistou por meio do sangue derramado. Vide por exemplo como a America fora colonizada. Então, a ordem natural das coisas é justamente a luta entre classes, o terror, a vida desrespeitada. Seria incoerência ou ingenuidade da nossa parte achar que o fato de as pessoas estarem mais violentas hoje em dia é a razão pela qual abala justamente a “ordem natural das coisas”...

O ser humano na sua forma primitiva é um animal irracional. Que caça, que mata, que vai atrás do que é de seu interesse para satisfazer as suas necessidades, independente da forma como ele ira atuar, ele simplesmente atua. Derruba o que for preciso para conquistar aquilo que de alguma forma acha que é seu por direito. E quando precisamos de uma justificativa para matar, saquear e cometer as maiores atrocidades que conhecemos não nos falta ideologia, tampouco religiosidade. Independente de ser deus, ser pela sua cor, pelo que tens no bolso, o que importa é que de alguma forma o que esta com você passa a ser meu mediante a violência.




É assim que tal afirmativa demonstrasse totalmente aniquilada. Achar que a ordem natural das coisas esta mudando haja vista aos altos índices de violência nada mais que ingenuidade da parte daquele que se deixa convencer-se.